O que é um Hotel sustentável?

IMG_5076

Atualmente, é muito comum encontrar hotéis com práticas de sustentabilidade. As mais comuns são aquelas voltadas para o uso da água e da energia, mas existem muitas outras relacionadas com resíduos, geração de renda para comunidades, valorização da cultura local, uso de produtos de limpeza biodegradáveis, entre outras.

Ficando hospedado ou realizando uma rápida pesquisa na internet é fácil de localizar estes tipos de práticas. Mas será que um hotel que tem 15 tipos de práticas de sustentabilidade é mais sustentável do que aquele que possui somente 3? Ou será, que o hotel que implementou práticas de sustentabilidade para gestão e uso da água, da energia e de resíduos é mais sustentável que outro hotel que implementou práticas de sustentabilidade somente para gestão e uso de energia? [A norma ISO 21401:2018 – Sistema de gestão da sustentabilidade de meios de hospedagem e os objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU)]

Aliás, existem esquemas de certificação que usam esta premissa para a concessão de um selo, estabelecendo níveis de certificação: ouro, prata e bronze. O hotel que tem mais práticas de sustentabilidade recebe mais “pontos” e, portanto, recebe um selo “melhor”, por exemplo, o selo ouro.[Certificação de turismo sustentável]

Contudo, este pensamento não faz muito sentido. Veja, as práticas de sustentabilidade têm a função de minimizar os impactos negativos gerados pelo hotel, sejam estes ambientais, socioculturais ou econômicos. Assim, o que importa não é quantidade de práticas, mas sim o quanto o hotel conseguiu reduzir o impacto gerado. Um determinado hotel pode precisar implementar 5 ou 6 práticas de sustentabilidade para redução significativa do consumo de água. Porém outro hotel poderá chegar no mesmo resultado de redução do consumo de água implementando somente 2 destas práticas.[Hotéis Sustentáveis: Porque isso é importante para os hóspedes?]

Além disto, cada hotel tem suas características (número de quartos, infraestrutura de lazer, tipo de instalações hidráulicas, tempo de funcionamento, etc) e a redução do consumo de água pode ser totalmente distinta de um hotel para o outro. Assim, o que importa para um hotel é atingir seu objetivo de redução do consumo de água em relação ao que consumia antes de implementar as práticas de sustentabilidade. A quantidade de práticas adotadas é irrelevante e a comparação entre os hotéis, sem o uso de um indicador padronizado, é irreal.

Desta maneira, o ideal é que o hotel estabeleça um objetivo mensurável para minimizar o impacto gerado, por exemplo, reduzir 5% o consumo de água neste ano e, a partir disto, usar um indicador para medir o consumo atual (litros ou M3 de água/hóspede/noite).

Ao usar esta lógica, o hotel poderá conectar as práticas de sustentabilidade à gestão do negócio, tomando decisões que gerem ações de minimização dos impactos ambientais (redução do consumo de água) e dos impactos econômicos (redução de custos), saber:

Exemplo da lógica base para Gestão da Sustentabilidade

Aspecto da sustentabilidade

consumo de água

Impacto da sustentabilidade

redução do recurso natural

Objetivo de sustentabilidade  

reduzir 5 % do consumo de água

 

Práticas de sustentabilidade  

instalar redutores de fluxo de água nos chuveiros; implementar programa de troca de tolhas e roupas de cama a cada 2 dias e estabelecer rotina de inspeções para identificar vazamentos das instalações

 

Indicador de sustentabilidade  

Litros ou M3 de água/hóspede/noite

 

Resultado (antes das práticas)  

150 litros/hóspede/noite (março de 2019)

 

Resultado (depois das práticas adotadas)

142,5 litros/hóspede/noite (março de 2020)

 

Resultado final obtido 5% de redução do consumo de água

 

Por fim, podemos dizer que não interessa a quantidade de práticas de sustentabilidade adotadas e, sim, a gestão da sustentabilidade.

Para saber mais sobre Gestão da Sustentabilidade de Hotéis existe a norma ABNT NBR ISO 21401 – Sistema de Gestão da Sustentabilidade para Meios de Hospedagem.

Para saber mais sobre indicadores de sustentabilidade consulte a norma ABNT NBR 16534 – Meios de hospedagem – Indicadores para o sistema de gestão da sustentabilidade.

Certificação de turismo sustentável

Farol

A certificação de negócios sustentáveis no turismo

Muito popular hoje em dia, a certificação é um mecanismo para assegurar que determinada empresa, produto ou serviço está em conformidade com requisitos especificados. No caso do turismo sustentável, o que se pretende dizer por meio da certificação é que uma empresa é sustentável ou que tem um sistema de gestão da sustentabilidade.

A maioria das certificações existentes se dividem em 2 grupos: o primeiro com foco em atestar que a empresa tem determinadas práticas sustentáveis e o segundo que a empresa tem um sistema de gestão da sustentabilidade implementado e eficaz, neste caso, as práticas sustentáveis também são consideradas mas não há uma predeterminação de quais são as práticas que devem ser adotadas.

A certificação é realizada por uma organização independente, denominada de organismo de certificação, que tem como negócio avaliar a conformidade e atestar para o mercado que a empresa é sustentável.

Para conquistar à certificação a empresa precisa demonstrar que cumpre os requisitos. Obviamente que para dar início a este processo a empresa precisar fazer a sua lição de casa, conhecendo inicialmente os requisitos que dão base a certificação desejada, passando por uma auto-avaliação do seu negócio e, principalmente, implementando medidas para atendimento destes requisitos. Assim, a empresa aumentará a chance de ser certificada e poderá usar a certificação como instrumento de marketing e comunicação com mercado em que atua ou pretende atuar.

Contudo é importante destacar que a certificação não deve ser um fim em si mesmo, mas sim, a consequência natural para a empresa que cumpre os requisitos e, portanto, pode ser chamada de sustentável. Na verdade, o atendimento aos requisitos de sustentabilidade tem poder de transformar a empresa e trazer benefícios muito além do próprio certificado.

Exemplos de benefícios normalmente conquistados com a certificação são:

  • Melhoria da imagem
  • Fortalecimento da Marca
  • Melhoria da gestão do negócio
  • Fortalecimento da parceira com as partes interessadas
  • Mídia espontânea
  • Aumento da satisfação dos clientes
  • Aumento do engajamento dos colaboradores
  • Redução de custos operacionais
  • Melhoria nos resultados

Ter uma empresa sustentável, minimizando os impactos negativos e potencializando os impactos positivos gerados, é uma forma moderna e atual de ser fazer negócios.

Outro aspecto relevante da certificação da sustentabilidade é que invariavelmente a empresa acaba influenciando de forma bastante positiva o território em que está instalada ou operando. Assim, a sustentabilidade acaba criando uma rede, onde todas as partes interessadas ganham, sejam elas colaboradores, comunidade local, fornecedores, turistas, ONG’s, poder público local, entre outras.

Um processo de certificação de empresas envolve, de uma forma geral, as seguintes etapas:

  • Solicitação da certificação
  • Envio da documentação da empresa
  • Análise técnica da documentação
  • Realização de auditoria
  • Análise dos resultados
  • Concessão do Certificado
  • Auditorias de manutenção (durante o período de validade do certificado)

Existem muitos tipos de certificação em turismo sustentável e a empresa deve avaliar qual certificação agregar valor ao seu negócio e ajuda na comunicação com o mercado em que atua e com os seus clientes.

A certificação de Meios de Hospedagem

A certificação de meios de hospedagem tem a função de garantir que o meio de hospedagem tem um sistema de gestão da sustentabilidade implementado e eficaz. Esta certificação vale para qualquer tipo, tamanho e localização geográfica de meio de hospedagem e é baseada numa norma internacional, a norma ISO 21401:2018 – Sistema de Gestão da Sustentabilidade de Meios de Hospedagem.

Ao implementar os requisitos desta norma o meio de hospedagem terá como benefícios, o fortalecimento do seu negócio e o aprimoramento do processo de tomada de decisão, o qual passará a ser feito de forma mais moderna e completa, olhando simultaneamente para as 3 dimensões da sustentabilidade (ambiental, sociocultural e econômica).

Um sistema de gestão da sustentabilidade pressupõe o desenvolvimento de política e objetivos de sustentabilidade, baseados nos contextos interno e externo do empreendimento, nas necessidades das partes interessadas, nos riscos e oportunidades existentes e fundamentado nos aspectos e impactos negativos e positivos do negócio. Obviamente que isto deve ser liderado pela alta direção do meio de hospedagem, que deverá demonstrar seu comprometimento, provendo recursos, definindo responsabilidade e autoridades e planejando as ações de sustentabilidade de forma ambientalmente responsável, socialmente justa e economicamente viável.

Além disto, o Sistema de Gestão da Sustentabilidade precisa contemplar as competências dos colaboradores, a implementação de controles dos processos de trabalho, métodos de comunicação e o desenvolvimento e a avaliação de fornecedores. É fundamental para que se possa usá-lo de forma eficaz, que seja documentado e tenha elementos de monitoramento, análise e melhoria contínua clássicos nos sistemas de gestão: avaliação do desempenho, auditoria interna, análise crítica, não conformidade e ações corretivas.

Um meio de hospedagem administrado por meio de um Sistema de Gestão da Sustentabilidade permitirá o desenvolvimento de um negócio realmente sustentável e apto para os desafios atuais do turismo.

Após a implementação desta norma o meio de hospedagem que desejar ser certificado irá passar por processo de auditoria planejada pelo organismo de certificação, que enviará auditores para avaliar à conformidade da gestão e das práticas adotadas em relação aos requisitos de sustentabilidade.

A certificação de empresas de turismo de aventura

Para as empresas de turismo de aventura é possível ser certificado com base na norma internacional ISO 20611:2018 – Boas práticas de sustentabilidade. Neste caso não é necessário implementar um sistema de gestão completo, mas sim, demonstrar que adota práticas sustentáveis na sua operação para as três dimensões: ambiental, social e econômica.

As práticas devem ser adotadas com o objetivo de reduzir os impactos gerados com as operações turísticas da empresa, como por exemplo:

  • Dimensão ambiental – uso de recursos naturais, consumo de água e energia, na proteção da biodiversidade e dos habitats naturais;
  • Dimensão social – respeito dos colaboradores e da comunidade local, promoção e respeito da cultura local, condições de trabalho;
  • Dimensão econômica – adoção de práticas justas de comércio, gestão dos riscos financeiros do negócio, geração de trabalho.