Como se tornar um Hotel sustentável?

A resposta a esta questão é simples: gerir o Hotel de forma sustentável. Mas como começar? Uma das formas de se começar é centrar os esforços na observação da Gestão do empreendimento sob a ótica três dimensões da sustentabilidade, a ambiental, a social-cultural e a econômica. O que na prática significa conhecer o quanto seu Hotel é, atualmente, sustentável.

Utilizando-se como referência a norma ABNT NBR 15401: Meios de hospedagem — Sistema de gestão da sustentabilidade — Requisitos isto pode ser feito em três etapas, a saber:

  1. Conheça o seu Hotel sob o ponto de vista da sustentabilidade

Comece pelo mapeamento das principais atividades desenvolvidas no empreendimento. Para isso você deve ir a cada área do empreendimento e identificar as principais atividades executadas e, em seguida, relacionar os aspectos e impactos ligados a sustentabilidade envolvidos com estas atividades, pensando sempre nas três dimensões envolvidas: ambiental, social-cultural e econômica. Lembre-se que uma determinada atividade pode ter um ou mais aspectos envolvidos e, que cada aspecto, pode gerar um ou mais impactos. Pense que aspecto e impacto é uma relação causa-efeito.

A partir desta identificação você deve avaliar se os impactos são significativos ou não para o desempenho do seu empreendimento. Ser ou não significativo depende primeiro da legislação, ou seja, se houver legislação que obrigue a minimizar, ou a não gerar o impacto, este será considerado significativo. Em segundo, caso não haja nenhuma obrigação legal, o impacto deve ser avaliado quanto à importância para o empreendimento. Esta importância pode ser considerada em função da freqüência e da intensidade do impacto gerado. Neste caso, devem ser estabelecidos critérios para se classificar os impactos como significativos.

O conhecimento sobre os aspectos e impactos da sustentabilidade, em particular dos impactos significativos, permitirá visualizar em que atividades e áreas necessita-se implementar boas práticas sustentáveis.

  1. Implemente indicadores de sustentabilidade

Em paralelo a questão anterior (aspectos e impactos) você deve quantificar o desempenho das práticas atuais de gestão sustentável. Para isto escolha e implemente um conjunto de indicadores de sustentabilidade. Existem muitas possibilidades para o uso de indicadores deste tipo, mas você deve escolher aqueles que vão efetivamente ajudá-lo na Gestão Sustentável. Alguns exemplos de indicadores para cada uma das dimensões são:

  • Dimensão Ambiental
    • consumo de água, por Hóspede, por Noite
    • consumo de energia, por Hóspede, por Noite
  • Dimensão Sócio – cultural
    • percentual do faturamento bruto aplicado em iniciativas sócio-culturais
    • percentual trabalhadores local
  • Dimensão Econômica
    • percentual de satisfação do cliente
    • taxa de ocupação

 

Evidentemente que se você conseguir usar indicadores relacionados diretamente com os impactos identificados e classificados como significativos, isto aumentará a qualidade das decisões gerenciais a serem tomadas.

 

  1. Melhore o desempenho do sistema de gestão da sustentabilidade.

Agora junte as informações obtidas nas etapas anteriores. Com base nos resultados obtidos e conhecendo todos os aspectos e impactos da sustentabilidade relacionados ao seu negócio, planeje e implemente boas práticas sustentáveis e produza as melhorias na gestão do seu Hotel.

As melhorias implementadas poderão ser identificadas usando-se os mesmos indicadores para calcular os resultados obtidos e, desta forma, possibilitarão decisões gerenciais mais eficazes e eficientes.

As etapas descritas poderão então ajudar qualquer Hotel , independente do seu tipo e porte ou condições geográficas, culturais e sociais, a iniciar seu caminho em direção da sustentabilidade, ou seja, tornar-se ambientalmente responsável, socialmente justo e economicamente viável.

Quais são os princípios do turismo sustentável?

  1. Respeitar a legislação vigente:

O turismo deve respeitar a legislação vigente em todos os níveis no país e as convenções internacionais de que o país é signatário.

  1. Garantir os direitos das populações locais:

O turismo deve buscar e promover mecanismos e ações de responsabilidade social e ambiental e de equidade econômica, inclusive a defesa dos direitos humanos e de uso da terra, mantendo ou ampliando, a médio e longo prazos, a dignidade dos colaboradores e comunidades envolvidas.

  1. Conservar o ambiente natural e sua biodiversidade:

Em todas as fases de implantação e operação, o turismo deve adotar práticas de mínimo impacto sobre o ambiente natural, monitorando e mitigando efetivamente os impactos, de forma a contribuir para a manutenção das dinâmicas e processos naturais em seus aspectos paisagísticos, físicos e biológicos, considerando o contexto social e econômico existente.

  1. Considerar o patrimônio cultural e valores locais:

O turismo deve reconhecer e respeitar o patrimônio histórico-cultural das regiões e localidades receptoras e ser planejado, implementado e gerenciado em harmonia com as tradições e valores culturais, colaborando para seu desenvolvimento.

  1. Estimular o desenvolvimento social e econômico dos destinos turísticos:

O turismo deve contribuir para o fortalecimento das economias locais, a qualificação das pessoas, a geração crescente de trabalho, emprego e renda e para o fomento da capacidade local de desenvolver empreendimentos turísticos.

  1. Garantir a qualidade dos produtos, processos e atitudes:

O turismo deve avaliar a satisfação do turista e verificar a adoção de padrões de higiene, segurança, informação, educação ambiental e atendimento estabelecidos, documentados, divulgados e reconhecidos.

  1. Estabelecer o planejamento e a gestão responsáveis:

O turismo deve estabelecer procedimentos éticos de negócio, visando engajar a responsabilidade social, econômica e ambiental de todos os integrantes da atividade, incrementando o comprometimento do seu pessoal, fornecedores e turistas, em assuntos de sustentabilidade, desde a elaboração de sua missão, objetivos, estratégias, metas, planos e processos de gestão.