Como abordar a sustentabilidade no turismo?

Capa Guia NBR 15401

Como provavelmente você sabe a sustentabilidade é um tema complexo, pois conforme os pontos citados no artigo anterior “O que é turismo sustentável”, as dimensões da sustentabilidade “concorrem” entre si. Quando tomamos uma decisão sobre como minimizar o impacto negativo no meio ambiente, poderemos estar aumentando o impacto negativo do nosso negócio na dimensão econômica. Da mesma forma quando decidimos minimizar o impacto negativo sociocultural podemos, sem querer, aumentar o impacto negativo ambiental. Qual seria então a solução? Entender o conjunto de impactos negativos e positivos gerados com as atividades que desenvolvemos, para só então escolher que medidas e ações deveremos tomar. O ideal é implementar ações que contribuam ao mesmo tempo com a minimização de impactos negativos nas 3 dimensões da sustentabilidade. Contudo, como isto nem sempre é possível, devemos fazer escolhas conscientes colocando na balança o que naquele momento, parece ser o mais adequado.

Vejam, que a sustentabilidade também pode ser influenciada pelo contexto, ou seja, o local aonde as atividades são realizadas, o tipo de atividades, a forma de realização destas atividades, o tamanho da empresa que as conduz, o tamanho do impacto gerado, ou ainda, o momento em que estas atividades ocorrem. Isto nos mostra o quanto a sustentabilidade é algo complexo, fluido e que pode ser entendido de formas diferentes. Assim, nem todas as práticas sustentáveis aplicadas em empresas diferentes, de portes diferentes ou instaladas em locais diferentes produzirão o mesmo resultado.

Então, como ter um negócio sustentável? Tem uma maneira que pode ser implementada em qualquer tipo de empresa, seja esta um hotel de pequeno porte, um resort, um hotel fazenda, um restaurante ou bar, uma operadora de turismo, uma agência de viagem ou uma empresa de transporte (aéreo ou terrestre). Esta maneira, ou melhor, esta abordagem é a gestão da sustentabilidade, onde ser sustentável está diretamente conectado com as decisões empresariais. Tal forma de pensar e agir tem duas grandes vantagens: ser maleável o suficiente para todos os tipos de empresas e estar alinhado diretamente ao negócio, onde as decisões são tomadas com base nos recursos disponíveis e para os resultados econômicos, ambientais e/ou socioculturais desejados.

Para o caso de hotéis, a gestão da sustentabilidade pode ser obtida usando como referência a norma ABNT NBR 15401 – Sistema de gestão da sustentabilidade para meios de hospedagem – requisitos, que descreve os principais elementos para a gestão dos hotéis que querem ter como foco a sustentabilidade. A implementação da norma brasileira pode ser realizada de várias maneiras, mas a metodologia descrita no Guia de implementação (acesso o documento aqui no blog) já foi utilizada por centenas de hotéis no Brasil de todos os portes e tipos e pode ser uma boa forma de se iniciar este processo.

Assim, esta abordagem de gestão permite as empresas gerenciar a complexidade da sustentabilidade e contribuir com o desenvolvimento sustentável do turismo.

O que é Turismo Sustentável?

Cataras Argentina.png

Estamos vendo cada vez mais o tema turismo sustentável sendo pautado nas discussões sobre o desenvolvimento do turismo; sobre a sua força econômica e importância. Atualmente é muito fácil observar práticas sustentáveis sendo adotadas e existem centenas de exemplos em que podemos nos inspirar como turistas, como empreendedores, como professores e profissionais do turismo. Contudo acredito ser importante refletir sobre o que é de fato o turismo sustentável. Em primeiro lugar temos que reconhecer que toda atividade humana gera impactos e no turismo isso não é diferente, basta pensar nas imagens comuns de horda de turistas aproveitando as praias ou os parques como na foto deste post. Em segundo lugar devemos considerar que estes impactos não são somente ambientais, eles também acontecem nas esferas sociais, culturais e econômicas. Mas o turismo não é uma atividade que gera empregos e promove o desenvolvimento? Lógico, que sim. Por isso, temos que considerar que os impactos podem ser negativos ou positivos. Em resumo o turismo é uma atividade econômica que gera impactos negativos e positivos nas três dimensões das sustentabilidade: ambiental, sociocultural e econômica.

Mas temos que ir além nesta reflexão, pois o turismo sustentável não é algo que se conquista e pronto. Nós não transformamos os negócios em sustentáveis como se estivéssemos alcançando um estado de excelência. O que vale aqui é a atitude constante de tentar ao mesmo tempo ser ambientalmente responsável, socialmente justo e economicamente viável, tomando decisões e implementando ações para minimizar os impactos negativos e potencializar os positivos. Ou seja, manter o equilíbrio entre as três dimensões da sustentabilidade.

Para isso é preciso conhecer os impactos gerados pelas atividades desenvolvidas, em seguida avaliar os impactos relevantes, aqueles que precisam ser tratados, depois tomar as ações (ou práticas sustentáveis) para minimizar os negativos e potencializar os positivos e, então, monitorar constantemente os resultados conquistados com as ações implementadas.

A sustentabilidade é uma nova abordagem para os negócios. O Turismo sustentável é uma nova maneira de agir, que reforça a experiência positiva do turista, respeitando o meio ambiente, os direitos das pessoas, a cultura, as tradições e promovendo a viabilidade dos negócios ao longo do tempo.

Como se tornar um Hotel sustentável?

A resposta a esta questão é simples: gerir o Hotel de forma sustentável. Mas como começar? Uma das formas de se começar é centrar os esforços na observação da Gestão do empreendimento sob a ótica três dimensões da sustentabilidade, a ambiental, a social-cultural e a econômica. O que na prática significa conhecer o quanto seu Hotel é, atualmente, sustentável.

Utilizando-se como referência a norma ABNT NBR 15401: Meios de hospedagem — Sistema de gestão da sustentabilidade — Requisitos isto pode ser feito em três etapas, a saber:

  1. Conheça o seu Hotel sob o ponto de vista da sustentabilidade

Comece pelo mapeamento das principais atividades desenvolvidas no empreendimento. Para isso você deve ir a cada área do empreendimento e identificar as principais atividades executadas e, em seguida, relacionar os aspectos e impactos ligados a sustentabilidade envolvidos com estas atividades, pensando sempre nas três dimensões envolvidas: ambiental, social-cultural e econômica. Lembre-se que uma determinada atividade pode ter um ou mais aspectos envolvidos e, que cada aspecto, pode gerar um ou mais impactos. Pense que aspecto e impacto é uma relação causa-efeito.

A partir desta identificação você deve avaliar se os impactos são significativos ou não para o desempenho do seu empreendimento. Ser ou não significativo depende primeiro da legislação, ou seja, se houver legislação que obrigue a minimizar, ou a não gerar o impacto, este será considerado significativo. Em segundo, caso não haja nenhuma obrigação legal, o impacto deve ser avaliado quanto à importância para o empreendimento. Esta importância pode ser considerada em função da freqüência e da intensidade do impacto gerado. Neste caso, devem ser estabelecidos critérios para se classificar os impactos como significativos.

O conhecimento sobre os aspectos e impactos da sustentabilidade, em particular dos impactos significativos, permitirá visualizar em que atividades e áreas necessita-se implementar boas práticas sustentáveis.

  1. Implemente indicadores de sustentabilidade

Em paralelo a questão anterior (aspectos e impactos) você deve quantificar o desempenho das práticas atuais de gestão sustentável. Para isto escolha e implemente um conjunto de indicadores de sustentabilidade. Existem muitas possibilidades para o uso de indicadores deste tipo, mas você deve escolher aqueles que vão efetivamente ajudá-lo na Gestão Sustentável. Alguns exemplos de indicadores para cada uma das dimensões são:

  • Dimensão Ambiental
    • consumo de água, por Hóspede, por Noite
    • consumo de energia, por Hóspede, por Noite
  • Dimensão Sócio – cultural
    • percentual do faturamento bruto aplicado em iniciativas sócio-culturais
    • percentual trabalhadores local
  • Dimensão Econômica
    • percentual de satisfação do cliente
    • taxa de ocupação

 

Evidentemente que se você conseguir usar indicadores relacionados diretamente com os impactos identificados e classificados como significativos, isto aumentará a qualidade das decisões gerenciais a serem tomadas.

 

  1. Melhore o desempenho do sistema de gestão da sustentabilidade.

Agora junte as informações obtidas nas etapas anteriores. Com base nos resultados obtidos e conhecendo todos os aspectos e impactos da sustentabilidade relacionados ao seu negócio, planeje e implemente boas práticas sustentáveis e produza as melhorias na gestão do seu Hotel.

As melhorias implementadas poderão ser identificadas usando-se os mesmos indicadores para calcular os resultados obtidos e, desta forma, possibilitarão decisões gerenciais mais eficazes e eficientes.

As etapas descritas poderão então ajudar qualquer Hotel , independente do seu tipo e porte ou condições geográficas, culturais e sociais, a iniciar seu caminho em direção da sustentabilidade, ou seja, tornar-se ambientalmente responsável, socialmente justo e economicamente viável.

Quais são os princípios do turismo sustentável?

  1. Respeitar a legislação vigente:

O turismo deve respeitar a legislação vigente em todos os níveis no país e as convenções internacionais de que o país é signatário.

  1. Garantir os direitos das populações locais:

O turismo deve buscar e promover mecanismos e ações de responsabilidade social e ambiental e de equidade econômica, inclusive a defesa dos direitos humanos e de uso da terra, mantendo ou ampliando, a médio e longo prazos, a dignidade dos colaboradores e comunidades envolvidas.

  1. Conservar o ambiente natural e sua biodiversidade:

Em todas as fases de implantação e operação, o turismo deve adotar práticas de mínimo impacto sobre o ambiente natural, monitorando e mitigando efetivamente os impactos, de forma a contribuir para a manutenção das dinâmicas e processos naturais em seus aspectos paisagísticos, físicos e biológicos, considerando o contexto social e econômico existente.

  1. Considerar o patrimônio cultural e valores locais:

O turismo deve reconhecer e respeitar o patrimônio histórico-cultural das regiões e localidades receptoras e ser planejado, implementado e gerenciado em harmonia com as tradições e valores culturais, colaborando para seu desenvolvimento.

  1. Estimular o desenvolvimento social e econômico dos destinos turísticos:

O turismo deve contribuir para o fortalecimento das economias locais, a qualificação das pessoas, a geração crescente de trabalho, emprego e renda e para o fomento da capacidade local de desenvolver empreendimentos turísticos.

  1. Garantir a qualidade dos produtos, processos e atitudes:

O turismo deve avaliar a satisfação do turista e verificar a adoção de padrões de higiene, segurança, informação, educação ambiental e atendimento estabelecidos, documentados, divulgados e reconhecidos.

  1. Estabelecer o planejamento e a gestão responsáveis:

O turismo deve estabelecer procedimentos éticos de negócio, visando engajar a responsabilidade social, econômica e ambiental de todos os integrantes da atividade, incrementando o comprometimento do seu pessoal, fornecedores e turistas, em assuntos de sustentabilidade, desde a elaboração de sua missão, objetivos, estratégias, metas, planos e processos de gestão.